TAM Reclame Aqui: Me Deixaram na Coxia de Confins.

Esse post de hoje é o TAM Reclame Aqui. Se você já foi desrespeitado pelo serviço da Tam, por seus funcionários, ou teve um mau serviço prestado pela companhia aérea, continue lendo esse post e deixe o seu comentário no final da página.

Dentre as companhias aéreas do Brasil, a TAM bate recorde de reclamações na página de reclame aqui. E hoje é a minha vez de aumentar essa liderança do ranque de reclamações das companhia aérea brasileiras.

Só uma pequena estatística para o seu conhecimento. Estão aqui os números da companhia aérea no Reclame aqui. Nos últimos 6 dias foram 643 reclamações. E com certeza a minha ainda não está incluída. Em 26 dias foram 1.559 reclamações. E essas estatísticas estão a disposição de todos os leitores na página.

O meu TAM Reclame aqui, é que fui literalmente deixado na coxia no último dia 21 de março de 2016, com a minha esposa e duas crianças menores, no aeroporto de confins, Belo Horizonte. O nosso voo para o Rio de Janeiro estava marcado para sair às 19.20 e na verdade saiu mais cedo.

Cheguemos ao aeroporto com tempo suficiente para despachar as bagagens e fazer o embarque sem nenhuma correria. O que foi bem tranquilo. Nos direcionemos para a sala de embarque e encontremos dificuldades para encontrar o portão de embarque. Não havia informação sobre qual o portão de embarque, e nem mesmo no cartão de embarque essa informação foi colocada. Nos painéis eletrônico da sala, nenhuma informação foi disponibilizada sobre o voo, não encontrei por ali algum funcionário. E assim foi a nossa saga para embarcar num voo que tinha uma conexão para Nova York às 22.30, no Rio de Janeiro.

TAM Reclame AquiEstávamos andando de uma lado para o outro e quando cheguemos ao portão, as 19:05, exatos, o funcionário da TAM nos informou bem aborrecido, das seguinte forma. “esse voo já saiu, você desce a escada rolante, pega suas bagagens e vai a loja da TAM para remarcar o seu voo”. Assim bem seco e sem educação.

Dei meia volta e fui direto a loja da companhia. Pedi para falar com o gerente. Depois de falar com 3 pessoas, essa finalmente me chamou o supervisor “Adolfo”, que só veio a aparecer depois de 30 minutos. Ao explicar a situação, ele responde. E porque você me chamou aqui, eu não posso fazer nada. O Sr. tem de remarcar a sua passagem. Com total falta de preparo para atender um passageiro, esse Senhor Supervisor, não acha?

A Partir desse ponto, já sabia que havia sido tempo perdido. O atendente da loja, “Olivier”, pesquisou as minhas possibilidades de voos para remarcar a minha passagem.

O absurdo maior vem agora. As possibilidades de voos eram limitadas, e o pior, teria que pagar cerca de R$11.000,00 pela remarcação dos 4 bilhetes.

Eu paguei uma ida e volta menos de $2.000 de Nova York para Belo Horizonte. Agora teria de pagar cerca de R$11.000 para remarcar uma volta para Nova York, onde está a lógica disso. Considerando que fiz um check in e despachei as minhas malas, e mesmo assim a TAM me deixou na coxia?

Neste caso qual o caminho a seguir?

Resolução 196 da Anac(Agência Nacional de Aviação Civil).

Fiz um reporte na própria página da TAM. Feito pelo funcionária da companhia aérea. Isso pode ser feito na loja do aeroporto mesmo. Recebi um número de protocolo, e com ele, me direcionei a sala da Anac no aeroporto de confins. Foi feito uma reclamação e com esse documento, estarei encaminhando para o meu advogado para entrar com uma ação por danos morais e prejuízos financeiros.

Porque Danos e prejuízos financeiros?

Como não embarquei e não iria pagar R$11 mil reias para remarcar as passagens, nem assim me livrei de muitos outros gastos extras.

Por exemplo; comprei 4 novos bilhetes aéreo para Nova York(ida e volta), pois ficaram bem mais baratos do que somente a ida. E perdi a volta, claro. Gastei com taxis de ida e volta para a casa da minha sogra. Ainda bem, pois se fosse em outra cidade, teria que bancar também hospedagem, já que a TAM não me ofereceu nem hospedam e nem transportes(graças ao profissionalismo de seu pessoal de terra).

O novo voo, foi para o Santos Dumont no Rio de Janeiro. Despesas com taxi para o Galeão e mais 6 horas de espera até o embarque para Nova York. Viajando com duas crianças menores de 8 anos, não é uma tarefa fácil para controlá-las, pois já estavam cansadas do desgaste do dia anterior, onde fiquemos mais de 3 horas em Confins, tentando resolver o problema que não teve solução.

Sem contar as maiores perdas que tive. Uma delas, foi a não participação em uma reunião de negócio, que seria na terça-feira em Nova York. Me causando dores de cabeça e perdas financeira. Quem vai cobrir essas perdas?

A minha esposa também perdeu dois dias de trabalho e isso lhe causou, também, alguns aborrecimentos na companhia onde trabalha.

Como Proceder?

Se você tiver algum problema da mesma natureza, aconselho que faça a reclamação no escritório da Anac, antes de sair do aeroporto. Com esse documento em mãos, você pode acionar a justiça por perdas e danos. Porém, o mais aconselhado é contratar um advogado, mesmo sendo considerado uma ação de pequenas causas.

Antes de acionar a justiça, espere pelo comunicado da companhia aérea. Uma vez feita a reclamação na anac, ela têm 5 dias para se comunicar com o passageiro. Mas o TAM Reclame Aqui está aberto para suas reclamações na página de mesmo nome. Se você ainda não conhece esse canal, pesquise no google.

Mesmo depois dessa comunicação estabelecida, se você ainda se sentir prejudicado, ai sim, a justiça é o caminho a seguir. Mesmo isso não garantindo que os seus direitos e prejuízos financeiros serão ressarcidos pela companhia aérea. Mas na maioria das vezes, ela terá de cobrir os seus gastos, se constatado que infringiu as diretrizes da resolução 196 da anac.

Agora digite a palavra no Goggle TAM Reclame Aqui e descubra o quanto os passageiros desta companhia aérea têm reclamado nos últimos tempos.

Quais os Seus Direitos e Obrigações?

São várias as situações em que você como passageiro, deve exigir os seus direitos junto as companhias aéreas que não prestam o serviço contratado por você. O de transporte aéreo e, os serviços de terra, quando há a necessidade da aplicação do mesmo.

Ao comprar uma passagem aérea, assinamos esse contrato de prestação de serviço, com direitos e responsabilidades de ambas as partes. Uma vez quebrado esse contrato, as perdas acontecem, e geralmente é o passageiro que fica no prejuízo.

Sejam bem vindos no Viajando Online Blog, e façam uma boa viagem!