Novo Imposto de 25% sobre Viagens: O Quê Ainda não foi Esclarecido?

Volto hoje para pedir desculpas aos nossos leitores sobre o último post publicado há dois dias, onde eu cometi alguns enganos e omiti outras informações importantes, com relação ao novo imposto de 25% sobre viagens.

Devido a essa confusão, vou esclarecer neste post de hoje, todos os detalhes. Quem vai ser afetado e onde o novo imposto de 25% sobre viagens será aplicado.

Na verdade esse imposto afetará àqueles que tiverem de enviar valores para o exterior, e neste caso, entra algumas operações de viagens. Além disso, toda remessa de valores para o exterior, seja em transações comerciais e ou pagamentos de dívidas, terá essa incidência. Explico abaixo!

Gastos com Cartões de Credito

A princípio, os seus gastos com cartões de crédito lá fora, continua com a incidência de 6.38% de IOF e não os 25% da nova alíquota que entrou em vigor no dia 1 de janeiro do corrente ano. Os gastos com refeição, transportes e passeios por exemplo, não precisam ser declarados. Os mesmos 6.38% terá a cobrança sobre saques em conta corrente, recarga de pré-pagos e, 0.38% sobre a compra de dinheiro vivo, dólar, euro, pesos etc.

Em reservas de hotéis no Booking por exemplo, pagando em dinheiro vivo, no check out, você vai pagar apenas 0.38% de IOF. Se você pagar em Cartão de Crédito, a incidência de imposto é de 6.38% de IOF e não os 25%.

A mesma incidência de imposto IOF, será aplicada para as suas alocações de carro com o Rentalcars nos Estados Unidos e Europa ou em qualquer outro destino internacional.

Passagens Aéreas

Devido ao acordo de reciprocidade que o Brasil mantém com todos os países que operam voos comerciais para o Brasil, os preços das passagens não sofrerão cobrança desse tributo, a princípio. Ou seja, a companhia que operar o voo do Brasil para fora pode ficar isenta nestes casos. Caso contrário, a alíquota é de 15%.

Nestes casos as companhias aéreas brasileiras também são beneficiadas por este acordo lá fora. Quando a Tam, por exemplo, vende uma passagem aérea nos Estados Unidos também fica isenta deste Imposto de Renda.

Quem Vai Pagar o Novo Imposto de 25% Sobre Viagens?

O novo imposto não incide sobre gastos em dinheiro ou cartão de crédito em viagens internacionais. Ele será cobrado sobre remessas bancárias para compra de serviços de viagens, por empresas brasileiras que contratarem empresas estrangeiras como prestadores dos serviços turísticos.

Imposto-de-25%-Sobre-ViagensNesta linha, esse novo tributo vai pegar de cheio as agências de viagens e as operadoras de viagens. Elas contratam as passagens, hotéis, operadoras no destino do passageiro para prestarem serviços de traslados e passeios locais. É ai que entra o novo imposto de 25% sobre viagens. Pois ao contratar esses serviços, há que se fazer a remessa para o pagamento no exterior. Nesta transação, o governo abocanha a sua fatia do bolo.

O que deve acontecer a partir de agora, esses preços devem ser repassados para o consumidor. Você viajante será sim penalizado e vai pagar a conta de qualquer forma.

Mas nem tudo parece ser uma pécima notícia. Já se fala por ai que esse imposto deve cair. Não bastasse a crise do dólar nas alturas, com mais esse tributo de 25%, muitas operadoras e agências de viagens deverão demitir muita a gente, se não fechar as portas. Baseado nisso, a ABAV e outras entidades do setor deverão lutar pela extinção da alíquota.

Agora imagine se esse novo imposto de 25% sobre viagens, além de não cair, ainda passar a ser cobrados também em transações no cartão de crédito?

Sejam bem vindos no Viajando Online Blog, e façam uma boa viagem!